Caso clínico 10: Uma peça que não encaixa (Especial: Diabetes)

Caso clínico 10: Uma peça que não encaixa (Especial: Diabetes)

8 minutos Esta semana tivemos o Dia Mundial do Diabetes (14 de novembro), por isso trouxemos um caso clínico especial sobre diabetes! Este caso foi enviado pelo nosso ex-aluno, Dr. Gabriel Kreling:   Impressões iniciais A apresentação inicial deste caso era bastante inespecífica. Um quadro agudo de dor abdominal, vômitos e astenia pode ser provocado tanto por doenças leves e autolimitadas (como uma simples intoxicação alimentar ou gastroenterite aguda) quanto por patologias potencialmente graves como apendicite aguda, isquemia mesentérica, sepse, uremia e muitas outras. Portanto, uma Continue lendo

A educação médica brasileira vista pelo blog Raciocínio Clínico

A educação médica brasileira vista pelo blog Raciocínio Clínico

4 minutos Não fizemos parte da lista de palestrantes oficiais do 56º COBEM (Congresso Brasileiro de Educação Médica), que aconteceu no último final de semana em Vitória/ES. Inscrevemo-nos e competimos para ministrar uma das prestigiosas oficinas pré-congresso. Fomos qualificados e aceitos, por nossa conta e risco! Nossa oficina (“Raciocínio Clínico: Como Ensinar”) recebeu mais de 40 participantes, de todos os cantos do Brasil, e foi muito bem avaliada, como demonstra a word cloud abaixo: Há fortes indícios de que o raciocínio clínico esteja finalmente Continue lendo

O checklist do diagnóstico seguro

O checklist do diagnóstico seguro

10 minutos Como um checklist podem nos ajudar a melhorar a segurança diagnóstica? Leia a seguinte história para entender:   Checklists na Medicina Dentre as exigências da Medicina moderna, vemos uma mudança cultural crescente em direção à qualidade e à segurança. Muitos esforços têm sido empreendidos nesse sentido. Um grande exemplo são as 6 metas internacionais de segurança do paciente. É aqui que entram os checklists, que são uma maneira prática e efetiva de prevenir erros.   As limitações humanas Nós somos necessariamente falíveis. Há tarefas Continue lendo

7 estratégias antivieses para não errar diagnósticos

7 estratégias antivieses para não errar diagnósticos

10 minutos Você sabia que 95% das nossas decisões são inconscientes? No dia a dia, a imensa maioria das nossas decisões é tomada usando heurísticas (“atalhos” de pensamento), que predispõem a vieses (disposições “programadas” para responder a estímulos de maneiras predeterminadas). Não à toa, os vieses são a maior fonte de erros diagnósticos. Felizmente, existem maneiras de atenuar o impacto dos vieses no nosso raciocínio diagnóstico e aumentar a segurança diagnóstica: são as estratégias antivieses.   O que são estratégias antivieses? Qualquer processo desenhado Continue lendo

Todos iguais? Uma classificação dos vieses

Todos iguais? Uma classificação dos vieses

9 minutos Como já vimos em posts anteriores, os vieses cognitivos e afetivos são uma causa importante de erros diagnósticos em Medicina. Ao ler sobre eles, muitas vezes ficamos com a impressão de que: todos os vieses têm a mesma origem; todos os vieses são igualmente difíceis de contornar ou prevenir; algumas poucas estratégias genéricas “antivieses” podem ser igualmente úteis contra todos os vieses. Na verdade, muitos vieses têm múltiplos determinantes, o que torna difícil a aplicação de uma única intervenção para combatê-los. A Continue lendo

Caso clínico 9: O médico parente

Caso clínico 9: O médico parente

10 minutos Será que pode haver alguma diferença na qualidade do cuidado prestado a algum paciente quando o médico é seu parente?… Veja o caso clínico abaixo, que ilustra essa situação:     O médico parente Todo médico já esteve nesta posição: tendo que dar opinião, apoio ou cuidado médico a algum familiar ou amigo próximo. Muitos códigos de ética, mundo afora, desaconselham essa prática. Já em 1847, os fundadores da Associação Médica Americana (AMA) escreveram que “a ansiedade natural e a solicitude que Continue lendo

Diagnóstico: Um processo, não um evento

Diagnóstico: Um processo, não um evento

9 minutos Autor: Dr. Peter Elias   Em muitas discussões, o processo diagnóstico é tratado como se fosse um evento à parte, a segunda de três etapas numa cascata: a obtenção de informações, a formulação de um diagnóstico, o início de um tratamento. Eu acho que é um erro tratar o diagnóstico de uma maneira tão limitada, reduzindo a um evento isolado o que na verdade é um processo iterativo e inerentemente complexo. Durante meus 40 anos na Atenção Primária, eu observei que essa Continue lendo