Leandro Diehl

Resolva se puder! Caso Clínico Interativo #02

Resolva se puder! Caso Clínico Interativo #02

3 minutos   Caso Clínico Interativo #02 Uma mulher de 47 anos procurou atendimento devido a dispneia, edema e fraqueza. Ela relatou que o quadro teve início há 2 anos, com dispneia aos grandes esforços. O quadro progrediu gradualmente para dispneia aos pequenos esforços, associado a sensação de edema em face, membros inferiores e abdome. Também queixou-se de muita fraqueza e astenia. Já havia tido vários atendimentos e algumas internações por dispneia nesse período. Em cada atendimento, acabava evoluindo com melhora parcial dos sintomas Continue lendo

[Grandes Nomes do Raciocínio Clínico] 3: Mark Graber

[Grandes Nomes do Raciocínio Clínico] 3: Mark Graber

10 minutos   Reduzir os erros diagnósticos em Medicina: esta parece ser a cruzada pessoal do primeiro entrevistado internacional da nossa seção “Grandes Nomes do Raciocínio Clínico”, Dr. Mark Graber. O Dr. Graber, fundador e presidente da Society to Improve Diagnosis in Medicine, é considerado o “pai” dos esforços mundiais para combater os erros diagnósticos em Medicina e um dos maiores experts mundiais no assunto. Contatamos o Dr. Mark Graber por email, e ele gentilmente concordou em responder a algumas perguntas para o nosso Continue lendo

Xiii… deu zebra! Conheça doenças raras brincando

Xiii… deu zebra! Conheça doenças raras brincando

6 minutos Você acha importante conhecer doenças raras (as chamadas “zebras” da Medicina)? A grande maioria dos pacientes que vemos no dia a dia tem doenças comuns – pelo simples fato de que elas são… comuns! Mas não se engane: tem muitos portadores de doenças raras por aí. É verdade que uma doença rara atinge poucas pessoas. Isso é o que a define como “rara” (segundo o Ministério da Saúde, uma doença é rara quando atinge até 65 pessoas em cada 100.000). Por isso, Continue lendo

[Grandes Nomes do Raciocínio Clínico] 2: Wilson Luiz Sanvito

[Grandes Nomes do Raciocínio Clínico] 2: Wilson Luiz Sanvito

17 minutos Quando se fala em propedêutica neurológica e diagnóstico em Neurologia, é difícil não lembrar do nome do Prof. Dr. Wilson Luiz Sanvito. Autor do livro “Propedêutica Neurológica Básica” (atualmente na sua segunda edição), ele é conhecido pela sua longa carreira ensinando os segredos do exame neurológico e do raciocínio clínico diagnóstico em Neurologia. O Professor Sanvito é formado em Medicina pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), em 1958. Desde 1970, ele é professor titular de Neurologia na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Continue lendo

Caso clínico 3: Uma vítima do sistema

Caso clínico 3: Uma vítima do sistema

13 minutos Nosso caso clínico deste mês foi traduzido e adaptado do boletim Medical Malpractice Insights, publicado pelo Dr. Charles A. Pilcher. Leia o caso e faça as suas hipóteses! Embaixo do relato do caso, seguem os nossos comentários.   Comentários Este caso ilustra um diagnóstico perdido devido a múltiplos problemas, relacionados tanto ao processo de raciocínio clínico diagnóstico como também a falhas importantes do sistema: Problema 1 O principal determinante de erro diagnóstico neste caso, na nossa opinião, foi um erro cognitivo na etapa Continue lendo

Mnemônicos para diagnóstico diferencial: ACERTEINAMOSCA

Mnemônicos para diagnóstico diferencial: ACERTEINAMOSCA

4 minutos Como já vimos em um post anterior, a causa mais comum para deixar passar um diagnóstico é, simplesmente, não ter pensado nele! Daí a importância do diagnóstico diferencial. Por mais simples que pareça ser o diagnóstico do seu paciente, sempre tente fazer pelo menos 3 hipóteses diagnósticas! Dessa maneira, você vai estar mais preparado para colocar em prática o seu plano B (ou C) caso sua primeira hipótese acabe não se confirmando. Tente incorporar esse exercício simples à sua prática cotidiana! No entanto, Continue lendo

O diagnóstico difícil: zebras, camaleões e unicórnios

O diagnóstico difícil: zebras, camaleões e unicórnios

12 minutos O diagnóstico difícil: essa besta mitológica que espreita nos cantos dos hospitais universitários para amedrontar os pobres médicos. Um paciente com uma história muito estranha, o exame físico que “não bate”, os exames de laboratório que não fazem muito sentido… Longas e intermináveis discussões de casos em que todos esperam por algum palpite salvador que aponte a direção do diagnóstico correto, mas em que só aparecem dúvidas e mais dúvidas. Pois é. Todo mundo lembra de algum caso assim. Muito embora todos Continue lendo