Leandro Diehl

As grandes imitadoras

As grandes imitadoras

8 minutos VOCÊ JÁ OUVIU FALAR DAS “GRANDES IMITADORAS”? São doenças ou condições particularmente difíceis de diagnosticar, pois podem ter apresentações clínicas muito variadas e assim imitar várias outras patologias, podendo confundir o médico e levá-lo a erros de diagnóstico. (Em um post anterior, já citamos as grandes imitadoras como causas de diagnóstico difícil – assim como as zebras, os camaleões e os unicórnios). O protótipo (e a mais conhecida) das grandes imitadoras é a sífilis. A sífilis é uma armadilha diagnóstica perfeita porque: Continue lendo

Caso clínico 5: A ferramenta errada

Caso clínico 5: A ferramenta errada

8 minutos O caso clínico abaixo foi traduzido e adaptado a partir de um relato originalmente publicado na PSNet (Patient Safety Network), comentado pelos doutores Casey Cable, David Murphy e Greg Martin. Confira:   Caso clínico Um homem de 88 anos procurou o pronto-socorro com dor lombar há 2 dias. O paciente era hipertenso e tinha um prolapso de valva mitral com regurgitação. Na chegada, estava em bom estado geral, consciente, orientado, PA 130x75mmHg, FC 65bpm, FR 16irpm, temperatura 36,3oC e saturação de oxigênio Continue lendo

12 superdicas para se dar bem no internato médico

12 superdicas para se dar bem no internato médico

2 minutos Vai entrar no internato médico agora? Está ansioso? Assustado? Não sabe se vai dar conta? É assim mesmo. Todo mundo passa por isso para tornar-se médico. Para ajudar você, compilamos esta lista de superdicas, dadas por quem já passou pelo internato – e sobreviveu! Confira:  

Aplicativo para diagnóstico diferencial: escolhemos os 4 melhores!

Aplicativo para diagnóstico diferencial: escolhemos os 4 melhores!

7 minutos “Aplicativo para diagnóstico diferencial? Quem precisa disso?” A resposta é: todo mundo! O blog Raciocínio Clínico selecionou as 4 melhores opções de aplicativo para diagnóstico diferencial disponíveis no mercado. Todos eles têm um funcionamento mais ou menos semelhante: você entra os dados do paciente, e ele retorna uma lista de hipóteses diagnósticas que se aplicam ao caso. Uma mão na roda para você organizar melhor sua investigação diagnóstica e não esquecer nenhuma hipótese importante! Afinal, diagnosticar é uma tarefa difícil, e toda Continue lendo