Fabrizio Prado

Nefrologista, docente e um grande interessado em educação médica, ética médica, humanismo e profissionalismo.

Relação médico-paciente: o “médico autoritário” e o “paciente difícil”

Relação médico-paciente: o “médico autoritário” e o “paciente difícil”

7 minutos A boa relação médico-paciente não aparece do nada, por acaso. Ela é construída por bons profissionais, que procuram sempre expandir sua visão e conhecer melhor o ser humano enfermo. No post de hoje, vamos diferenciar autoridade de autoritarismo, compreender melhor as percepções e medos dos pacientes, e entender o que é necessário para conseguir estabelecer uma relação de autêntica parceria com o doente.   Autoridade x autoritarismo O autoritarismo médico, diferente da autoridade, é um modo de agir que impõe as opiniões Continue lendo

Anamnese focada: use com moderação

Anamnese focada: use com moderação

6 minutos Temos visto muitos alunos e médicos recém-formados falando que é importante fazer uma anamnese focada, a fim de otimizar o tempo e ter mais clareza no processo, já que os pacientes podem dizer coisas desnecessárias e confundir as coisas. Em algumas páginas de Facebook, que tentam ser bem-humoradas (mas que são medíocres), a orientação é essa mesmo: não “perder tempo com o paciente”, e perguntar logo o que é preciso. Prezamos muito a anamnese. Para nós, essa é a parte mais importante Continue lendo

Incerteza na Medicina 2: E agora, doutor?

Incerteza na Medicina 2: E agora, doutor?

12 minutos A Medicina e a ciência têm resposta para tudo? Estudando Medicina ou atuando como médico, você certamente já deve ter se dado conta que não! Para muitas perguntas, ainda não há resposta definitiva; para outras, as respostas existentes nem sempre são preto no branco, “sim” ou “não”. Imagine que você precisa determinar o prognóstico de um paciente de 75 anos com câncer de próstata, ou de uma mulher de 45 anos com câncer de mama, ou de um jovem vítima de TCE Continue lendo

Medicina: uma caixinha de incerteza

Medicina: uma caixinha de incerteza

5 minutos Em ano de Copa do Mundo, sempre se ouve aquela frase batida: “futebol é uma caixinha de surpresas”. Veja a figura abaixo: se o jogador bater o pênalti em algum desses cantos, podemos ter certeza de que ele vai marcar o gol? Claro que não! Podemos estimar a probabilidade de o jogador realmente marcar o gol, se chutar em cada um dos cantos (como na figura acima) – mas sempre vai sobrar algum grau de incerteza. Medicina também é assim!   Incerteza: Continue lendo

Problemas cabeludos em medicina: wicked problems

Problemas cabeludos em medicina: wicked problems

11 minutos Você acha que diagnosticar é fácil? Que nada! Na vida real, encontramos muitas situações complexas, para as nem sempre há soluções completas ou perfeitas. Segue um exemplo:     Estranho, não? Você deve estar pensando: “O que será que ela tem? O hematologista pensou em PTT e pediu plasmaférese, mas e esses outros dados que surgiram depois? Como encaixá-los no resto da história? Que caso bagunçado e mal escrito…” Pois é, desta vez trouxemos um caso descrito de uma maneira mais parecida Continue lendo

Caso clínico 8: A pior cefaleia da vida

Caso clínico 8: A pior cefaleia da vida

11 minutos   No post de hoje, falaremos sobre o diagnóstico de cefaleia, e em especial sobre a hemorragia subaracnoide (HSA). Confira: As 3 principais razões para deixar passar uma HSA; Uma lista de causas de cefaleias que você não pode esquecer; BÔNUS! Uma regrinha que não te deixará mandar para casa ninguém com HSA.   Diagnóstico de cefaleia (e de HSA) As cefaleias correspondem a 4% das consultas ambulatoriais e 2% dos atendimentos de pronto-socorro. Menos de 1% dessa população terá HSA. Além Continue lendo

Caso clínico 6: Uma ruptura inesperada

Caso clínico 6: Uma ruptura inesperada

14 minutos   Uma das queixas mais comuns em pronto-socorro, senão a mais comum, é a dor abdominal, cuja causa cirúrgica mais frequente é a apendicite aguda. No post de hoje, falaremos de dificuldades no diagnóstico de apendicite, com dicas sobre manifestações atípicas e exames complementares.   Dificuldades no diagnóstico de apendicite aguda Somente 3% de todos os pacientes com dor abdominal terão apendicite aguda. Logo, é mais provável que um paciente qualquer com dor abdominal no pronto-socorro não tenha apendicite, mas mesmo assim Continue lendo