Causos do Dr. Pedro

Erro médico por procuração: riscos do currículo paralelo

Erro médico por procuração: riscos do currículo paralelo

6 minutos A história que vou contar é totalmente verdadeira e pode acontecer com qualquer estudante de Medicina desavisado e explorado, na sua ingenuidade, por médicos irresponsáveis e inescrupulosos. Explico melhor. Todos sabem que cursos de Medicina, desde sempre, carecem dos chamados “cenários de práticas”, onde estudantes podem aprender, supervisionados por profissionais qualificados. É também sabido que estudantes de Medicina, na ânsia de aprender, procuram “estágios”, nem sempre supervisionados, onde podem realizar procedimentos que jamais fariam na sua faculdade, por falta de condições ou Continue lendo

O raciocínio clínico e a bicicleta

O raciocínio clínico e a bicicleta

3 minutos Aprender raciocínio clínico, com certeza, é fundamental. Mas o raciocínio clínico não é nenhuma panaceia! Não me entendam mal. Sou o maior defensor da educação médica através do raciocínio clínico. Mas lembremos que o raciocínio clínico é o meio através do qual as pessoas se tornam bons médicos. O bom raciocínio clínico é constituído de um conjunto de fundamentos e traz consigo a necessidade constante de muita prática, pois se alimenta da experiência pessoal e profissional. Assim, devemos entender que o raciocínio Continue lendo

Erro diagnóstico: Dr. Nassib e o mal de Hansen

Erro diagnóstico: Dr. Nassib e o mal de Hansen

1 minuto Dr. Nassib era um cirurgião, alto, magro e vaidosíssimo. Usava roupas finas e na moda. Reforçava isto dizendo: “meu avô lutou na Batalha de Verdun!“, querendo  dar uma conotação francesa à sua elegância. Era tão vaidoso que pintava seu cabelo, precocemente encanecido, de acaju e fazia suas unhas na manicure, pintando-as com esmalte transparente, apesar de cirurgião, ou por isto mesmo! Entrou esbaforido no meu consultório, deixando um rastro de perfume. – Pedro, estou com lepra!! Naquele tempo a hanseníase era assim Continue lendo

Caso clínico 4: Azul com azul se apaga

Caso clínico 4: Azul com azul se apaga

5 minutos Cenário: um hospital de Londrina/PR, anos 70. L.A.D., 4 anos, filho do meio de um casal trabalhador da classe média baixa, é trazido ao Hospital pela mãe que percebeu que o menino, habitualmente levado, estava cansado e com as “pontas dos dedos azuis” (sic). História da Moléstia Atual: A criança estava perfeitamente normal até há 3 dias, quando, numa visita de rotina ao pediatra, foi declarado normal, com desenvolvimento psicomotor adequado, vacinação em dia e peso e altura compatíveis com a idade. Continue lendo