Medicina: uma caixinha de incerteza

Tempo de leitura: 5 minutos

Em ano de Copa do Mundo, sempre se ouve aquela frase batida: “futebol é uma caixinha de surpresas”.

Veja a figura abaixo: se o jogador bater o pênalti em algum desses cantos, podemos ter certeza de que ele vai marcar o gol?Incerteza na Medicina - Raciocínio Clínico

Claro que não!

Podemos estimar a probabilidade de o jogador realmente marcar o gol, se chutar em cada um dos cantos (como na figura acima) – mas sempre vai sobrar algum grau de incerteza.

Medicina também é assim!

 

Incerteza: a companheira constante

Entre tantas dificuldades no caminho para o diagnóstico, uma das maiores é lidar com a incerteza. Frequentemente não a reconhecemos, mas a incerteza está o tempo todo ao nosso lado. Temos que reconhecer que ela existe. Também temos que prestar atenção às nossas próprias reações diante das situações incertas, que fazem parte do cotidiano de todo médico.

Lidar com a incerteza pode trazer desconforto e angústia, principalmente se ela não é claramente percebida ou trabalhada.

Por isso, vamos trazer esta série especial de três posts sobre a incerteza na Medicina. Com isso, esperamos que você possa identificar as fontes de incerteza na Medicina, entender as suas repercussões e desenvolver maneiras de lidar com isso.

Neste primeiro post, falaremos sobre:

  • Onde estão as incertezas;
  • Reações frente à incerteza e à ambiguidade;
  • Impacto dessas reações na vida emocional e profissional do médico.

No final, trazemos um bônus especial: um teste, com apenas 7 itens, para medir o quanto você tolera a incerteza!

 


Onde estão as incertezas

Se você observar um diálogo entre médicos, perceberá que expressões como “talvez”, “é pouco provável” ou “é possível” surgem com muita frequência. Isso porque certezas absolutas ou incontestáveis são raras em Medicina! O mais comum é estarmos o tempo todo diante de:

– Probabilidades

– Ambiguidades

– Complexidade

 


Desafio!

Veja com calma o quadro abaixo e tente identificar se, como estudante ou médico, você encontra alguma dessas fontes de incerteza no seu dia a dia:

Fontes de incerteza na Medicina - Raciocínio Clínico

E aí?

Com certeza você encontrou muitos fatores que causam incerteza na sua vida!

 


Reações frente à incerteza

Quais reações temos diante daquelas situações em que não conseguimos ter muita clareza sobre a natureza do problema, ou sua causa, ou seu prognóstico? Como reagimos diante do risco de errar, deixar passar algum diagnóstico, ou até da morte?

O impacto das reações individuais à incerteza nas decisões e na vida pessoal do médico é muito grande!

Pesquisas comprovam que não saber lidar com incerteza / ambiguidade se associa a:

Incerteza na Medicina - Raciocínio Clínico

  • Insatisfação e baixa autoestima
  • Stress e burnout
  • Uso excessivo de exames
  • Prática médica “defensiva”
  • Internações desnecessárias
  • Custos excessivos
  • Dificuldade para lidar com moribundos e com o luto
  • Erros no diagnóstico e sobrediagnóstico (“overdiagnosis“: alterações sem repercussão clínica que acabam sendo tratadas como doença)

Algumas pessoas têm, naturalmente e como traço de personalidade, uma capacidade maior de tolerar a incerteza. Outras pessoas a toleram menos, e percebem situações de ambiguidade, novidade ou complexidade como diretamente ameaçadoras – e dessa maneira respondem de maneira negativa, defensiva.

Porém, independente da sua personalidade, tolerar a incerteza é também uma habilidade que pode (e deve) ser adquirida e cultivada, desde o começo da faculdade!

De fato, pesquisas mostram que médicos com mais tempo de formados apresentam uma melhor performance, com níveis mais altos de tolerância, em testes que avaliam as reações à incerteza.

 


Reação à incerteza e impacto na vida do médico

Abaixo estão listados alguns dos benefícios de se ter uma boa tolerância à incerteza e à ambiguidade:

Incerteza na Medicina - Raciocínio Clínico

  • Menos medo e angústia
  • Mais confiança no trabalho
  • Melhor relação médico-paciente
  • Conduta menos rígida e autoritária
  • Abertura a novas ideias e inovações
  • Melhor relacionamento interpessoal
  • Liderança
  • Raciocínio mais claro
  • Menos preconceito e maior abertura ao próximo 

Infelizmente, ainda não há muitas abordagens consagradas para ensinar isso na faculdade. Mas não tem jeito! Para aprender a nadar, só nadando.

Comece, então, reconhecendo como são as suas reações, especialmente aquelas de ansiedade, insegurança e medo.

 

BÔNUS! Teste a sua reação à incerteza

Faça o teste abaixo e confira se você tem boa tolerância à incerteza e à ambiguidade, ou se precisa trabalhar mais este aspecto da sua vida! Depois de responder, anote o seu resultado.

 

CLIQUE AQUI PARA TESTAR SUA REAÇÃO À INCERTEZA!

 

Para comparar seu resultado com o de outros médicos, indique seu email abaixo. Vamos mandar para você a pontuação de estudantes e médicos de várias especialidades nesse teste!

Compare seu resultado com outros médicos e estudantes!

Conclusões

Neste post buscamos, antes de tudo, mostrar a presença universal da incerteza na Medicina e o seu impacto emocional sobre o médico.

No próximo post desta série sobre a incerteza, explicaremos em maiores detalhes como lidar melhor com as incertezas da profissão médica, e com isso melhorar o seu autocontrole e as suas habilidades de diagnóstico. Fique ligado!

 


PARA SABER MAIS:

Hillen MA et al. Tolerance of uncertainty: Conceptual analysis, integrative model, and implications for healthcare. Social Science & Medicine. 180(2017): 62-75.

 


Seja nosso assinante!

Informe seu nome e email para receber grátis todas nossas novidades!

 

Comentários