12 superdicas para se dar bem no internato médico

12 superdicas para se dar bem no internato médico

Vai entrar no internato médico agora? Está ansioso? Assustado? Não sabe se vai dar conta? É assim mesmo. Todo mundo passa por isso para tornar-se médico. Para ajudar você, compilamos esta lista de superdicas, dadas por quem já passou pelo internato – e sobreviveu! Confira:     7 DICAS-BÔNUS PARA SOBREVIVER AO INTERNATO Faça amizade com a tia do café. Você vai precisar muito! Traga sempre um lanchinho. Interno não almoça. Nunca – nunca! – atenda o telefone do pronto-socorro. Durma em toda ocasião possível Continue lendo

Aplicativo para diagnóstico diferencial: escolhemos os 4 melhores!

Aplicativo para diagnóstico diferencial: escolhemos os 4 melhores!

“Aplicativo para diagnóstico diferencial? Quem precisa disso?” A resposta é: todo mundo! O blog Raciocínio Clínico selecionou as 4 melhores opções de aplicativo para diagnóstico diferencial disponíveis no mercado. Todos eles têm um funcionamento mais ou menos semelhante: você entra os dados do paciente, e ele retorna uma lista de hipóteses diagnósticas que se aplicam ao caso. Uma mão na roda para você organizar melhor sua investigação diagnóstica e não esquecer nenhuma hipótese importante! Afinal, diagnosticar é uma tarefa difícil, e toda ajuda é bem Continue lendo

Hall da Fama do Raciocínio Clínico

Hall da Fama do Raciocínio Clínico

Veja abaixo quem foram os leitores que deram as melhores respostas para os nossos Casos Clínicos Interativos!   MELHORES RESPOSTAS DO CASO INTERATIVO #02: Categoria OURO Fabio Roston: médico cardiologista formado pela Universidade Gama Filho (RJ), atualmente docente da Universidade Estadual de Londrina (PR) Categoria PRATA Harissane Doráiny Santos:  acadêmica de Medicina do Centro Universitário São Lucas, em Porto Velho (RO) Categoria BRONZE Airto Costanzi: médico nefrologista do Hospital Nossa Senhora da Oliveira, em Vacaria (RS) PARABÉNS a todos esses colegas brilhantes!   E, se seu nome Continue lendo

Resposta do Caso Clínico Interativo #02!

Resposta do Caso Clínico Interativo #02!

Recebemos 126 respostas para o nosso Caso Clínico Interativo #02, de leitores de todos os cantos do Brasil! As respostas mais comuns foram: Qual seria o melhor resumo do caso? Qual seria a hipótese mais provável para este caso?   Confira abaixo o diagnóstico final do caso, e os nossos comentários!   Resposta do Caso Em relação ao Caso Clínico Interativo #02, acreditamos que o melhor resumo do caso, condensando os achados mais relevantes da história clínica em uma ou duas linhas, seria:   Diante Continue lendo

Resolva se puder! Caso Clínico Interativo #02

Resolva se puder! Caso Clínico Interativo #02

  Caso Clínico Interativo #02 Uma mulher de 47 anos procurou atendimento devido a dispneia, edema e fraqueza. Ela relatou que o quadro teve início há 2 anos, com dispneia aos grandes esforços. O quadro progrediu gradualmente para dispneia aos pequenos esforços, associado a sensação de edema em face, membros inferiores e abdome. Também queixou-se de muita fraqueza e astenia. Já havia tido vários atendimentos e algumas internações por dispneia nesse período. Em cada atendimento, acabava evoluindo com melhora parcial dos sintomas após uso de Continue lendo

[Grandes Nomes do Raciocínio Clínico] 3: Mark Graber

[Grandes Nomes do Raciocínio Clínico] 3: Mark Graber

  Reduzir os erros diagnósticos em Medicina: esta parece ser a cruzada pessoal do primeiro entrevistado internacional da nossa seção “Grandes Nomes do Raciocínio Clínico”, Dr. Mark Graber. O Dr. Graber, fundador e presidente da Society to Improve Diagnosis in Medicine, é considerado o “pai” dos esforços mundiais para combater os erros diagnósticos em Medicina e um dos maiores experts mundiais no assunto. Contatamos o Dr. Mark Graber por email, e ele gentilmente concordou em responder a algumas perguntas para o nosso blog sobre erros Continue lendo

Do clássico ao improvável: desafios no diagnóstico de AVC

Do clássico ao improvável: desafios no diagnóstico de AVC

Autor: Dr. Gabriel Braga   O Acidente Vascular Cerebral, ou AVC, pode ser reconhecido sem grandes dificuldades quando estamos frente a um paciente com um sintoma neurológico focal negativo (perda de função), de instalação súbita e persistente. Nesses casos, o diagnóstico de AVC é direto – ainda bem, já que se trata de uma doença com tratamento tempo-dependente, na qual cada minuto custa literalmente 2 milhões de neurônios! O diagnóstico das apresentações clássicas, em geral, não é um grande desafio. Ainda, o uso de algumas Continue lendo