Fabrizio Prado

Nefrologista, docente e um grande interessado em educação médica, ética médica, humanismo e profissionalismo.

WebTema #1: Erros diagnósticos

WebTema #1: Erros diagnósticos

1 minuto Talvez uma das coisas que cause mais medo nos médicos são os erros que podemos cometer. Para piorar, tais erros são muito divulgados na mídia, gerando em pessoas leigas a sensação de um ensino médico deficiente ou a falsa expectativa de o médico ser incapaz de falhar. Como a Medicina é complexa, as doenças diversas e os médicos simples humanos, erros ocorrerão. Mas essas falhas podem gerar danos claros e imediatos nas vidas dos pacientes, já muitos passam despercebidos, mas não o Continue lendo

Um diagnóstico sobre quatro rodas

Um diagnóstico sobre quatro rodas

3 minutos Já falamos muito neste site sobre como os médicos fazem diagnósticos. Mas também é muito interessante observar como os mecânicos fazem diagnóstico: – Meu carro está fazendo um barulho estranho… – Como é o barulho? – Quando eu vou ligar, faz tec, tec, tec… – Ah, é a bateria, certeza! Bem desse jeito aqui:   Um carro… e um diagnóstico difícil Pois comigo aconteceu algo parecido. Depois de um acidente, uma colisão lateral afetando a dianteira direita (sem nada grave comigo ou os Continue lendo

As 5 maiores dificuldades no raciocínio clínico diagnóstico

As 5 maiores dificuldades no raciocínio clínico diagnóstico

6 minutos    Um grande meio de progredir é identificar suas falhas e dificuldades e buscar meios para superá-las. Na Medicina também! E uma grande dificuldade, que observamos todos os dias nos alunos, está no raciocínio clínico. O que é meio óbvio, já que raciocínio clínico não é fácil. Exige estudo de doenças e síndromes, análise de casos clínicos, experiência real com pacientes e auxílio de professores médicos. São muitas informações para serem processadas ao mesmo tempo! Por isso, o apoio do médico Continue lendo

Por que nos revoltamos? O cuidado acidental e a crueldade incidental

Por que nos revoltamos? O cuidado acidental e a crueldade incidental

10 minutos       “A crueldade é incidental; o cuidado, acidental.”   Talvez essa seja a principal frase do livro “Porque Nos Revoltamos” (“Why We Revolt”), do médico peruano Dr. Victor Montori, que trabalha há anos na Mayo Clinic, nos Estados Unidos.     É um livro duro e, muitas vezes, dolorido. Mas recomendamos fortemente que você o leia! Por que a recomendação? Simplesmente porque é necessário pensar sobre o que fazemos, e como estamos fazendo. E o livro guia você por essa Continue lendo

Por que cometemos erros diagnósticos?

Por que cometemos erros diagnósticos?

16 minutos    Todos queremos ser bons médicos. Para isso, precisamos cuidar bem dos pacientes que nos procuram para obter as explicações e o tratamento para seus sintomas – e isso exige, obrigatoriamente, que façamos diagnósticos corretos. Por isso, é importante entender por que ocorrem erros diagnósticos. Na busca pelo diagnóstico, dependemos, até certo ponto, de uma gama de conhecimentos e aptidões. Daí a importância do conhecimento e da ciência médica, que cultivamos por meio do estudo e do acúmulo deliberado de experiências. Além Continue lendo

Exames complementares desnecessários: custos, riscos e oportunidades

Exames complementares desnecessários: custos, riscos e oportunidades

11 minutos   O tamanho do desperdício 765 bilhões de dólares! Estima-se que esse seja o montante de recursos desperdiçados na saúde nos Estados Unidos, todos os anos. Isso é um terço do total de gastos com saúde! Dessa montanha de dinheiro jogado fora, 210 bilhões de dólares/ano são desperdiçados em serviços desnecessários. Esta categoria inclui exames complementares sem indicação e tratamentos sem benefícios concretos – estes últimos, muitas vezes, desencadeados pelos primeiros. Por que os médicos de hoje pedem tantos exames? Você está Continue lendo

Exames inúteis 2: O que importa é o valor

Exames inúteis 2: O que importa é o valor

14 minutos Você sabe qual é a diferença entre valor e custo? Custo é o preço, o quanto você paga por alguma coisa. Valor é a percepção do benefício final. Algumas coisas têm muito valor mas não têm preço. É o caso da saúde, ou da vida. Embora o valor dessas coisas não possa ser medido em dinheiro, sempre existe um custo para provê-las. Com exames complementares, também é assim. Sempre há um custo – no mínimo, financeiro. Mas será que todos os exames Continue lendo